Uma breve visão do Eu: O Método do Respeito

Nesta nova postagem inspirada em O Método do Respeito, embarcaremos em uma reflexão sobre o personagem central dos relacionamentos – aquele que deveria estar no topo de todas as nossas investidas – o Eu. Um ser visto diariamente, mas deixado em segundo plano em diversas situações.

Em O Método do Respeito, esse indivíduo ganha grande destaque na conquista da felicidade, princípio esse que pode erguer as bases para uma vida de alegrias ao lado daquela pessoa escolhida para estar ao nosso lado em todos os momentos.

O Método do Respeito, o homem dos sonhos e a realidade

o guia o metodo do respeitoTal qual apontado o Método do Respeito funciona, a idealização do parceiro ideal, daquele cara perfeito, o príncipe encantado, geralmente não é uma iniciativa consciente da maioria das mulheres. Isso vem sendo plantado ao longo dos tempos e fomentado através de diversos meios desde a mais tenra infância. Essas expectativas aplicadas as seres comuns, conforme ilustra O guia do Método do Respeito, salta aos olhos e atinge a realidade em cheio: homens perfeitos, assim como o coelho da páscoa, papai noel e saci, não existem!

Apesar de um tanto óbvia, essa verdade é libertadora, pois essa compreensão permite que a mulher se concentre em encontrar o que há de especial em alguém comum e tão próximo de si; alguém que sofre com inseguranças, que também pode estar em busca de alento e compreensão.

Neste momento, pode surgir a preocupação básica com os cafajestes de plantão, aqueles caras loucos para achar uma alma distraída e arrancar tudo o que há de bom nela com uma simples cantada… esqueça isso, pois o lance aqui não é adotar uma postura ingênua, é se despir do conceito de perfeição masculina para tentar localizar o cara ideal, capaz de compreender a sua forma de ser e viver, tornando-se um companheiro de verdade.

Encante-se com a beleza da imperfeição no metodo do respeito

Deixando de lado os estereótipos estabelecidos, O Método do Respeito tenta promover uma visão mais humanizada do companheiro para que possamos perceber um cara que talvez não seja capaz de compreender o sexo oposto em sua totalidade, mas que, talvez por isso mesmo, se veja completamente envolvido por tamanho mistério; um sujeito que vê na companheira uma pessoa especial, singular, disposta a fazer com que o “nós” se torne o “laço”, por assim dizer. Mas esta aventura não termina aqui, ainda há muito para observar. Continuaremos com O Método do Respeito em nosso próximo post.